Pode ser do seu interesse

Remédios|suplementos

Zina Engorda? Dá Sono? Para Que Serve e Posologia

Zina é o nome de um medicamento antialérgico que pode ser prescrito pelo médico para o tratamento de sintomas de alergias, tais como:

  • Rinite alérgica sazonal (alergia provocada pelo pólen de plantas em certo período do ano, incluindo os sintomas oculares);
  • Rinite alérgica perene (alergias causadas por ácaro que podem ocorrer ao longo do ano);
  • Urticária crônica idiopática (inflamação da camada superficial da pele).

O uso do remédio é oral, adulto e pediátrico acima dos seis anos de idade e a sua comercialização exige a apresentação da receita médica. Zina (dicloridrato de levocetirizina) pode ser encontrado em embalagens contendo 10 comprimidos de 5 mg. As informações são da bula do medicamento.

Será que Zina engorda?

Agora que já vimos para que serve o medicamento, podemos entrar na parte em que vamos falar a respeito dessa ideia de que Zina engorda. Será que isso realmente pode acontecer?

Para descobrirmos isso, resolvemos consultar a bula do medicamento, que nos conta que é possível sim afirmar que Zina engorda.

Isso porque a bula apresenta o aumento do apetite como um dos possíveis efeitos colaterais do medicamento, que aparece classificado no grupo das reações com frequência desconhecida.

Ou seja, não se tem uma estimativa de quantos pacientes possam ser atingidos por esse crescimento no apetite ao usarem o medicamento, porém, sabe-se que é possível que ele aconteça.

Além disso, a bula também menciona o aumento de peso na lista de possíveis efeitos colaterais do remédio, porém, ele aparece no grupo de reações adversas que estão sob investigação.

Se você perceber que Zina engorda para você durante o seu tratamento, principalmente se isso acontecer de maneira expressiva, informe o médico a respeito do problema para investigar a causa do aumento de peso, saber o que deve fazer para revertê-lo e verificar como deve proceder em relação à continuidade do tratamento com o medicamento.

A bula de Zina destaca que o tratamento com o remédio não deve ser interrompido sem o conhecimento do médico.

Zina dá sono?

É possível sim afirmar que Zina dá sono porque a sonolência também é um dos efeitos colaterais que podem ser provocados pelo medicamento, de acordo com o que informa a sua bula. No documento, a sonolência aparece na lista das reações adversas comuns, ou seja, que ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que usam o remédio.

Por outro lado, a insônia também é citada na bula como uma das alterações de comportamento que podem aparecer como efeito colateral de Zina. Entretanto, o documento coloca essas alterações como reações de frequência desconhecida.

De qualquer modo, se você experimentar a insônia ou a sonolência, especialmente se isso ocorrer de maneira expressiva, procure o auxílio do médico para saber como deve lidar com essas reações.

Efeitos colaterais de Zina

De acordo com informações da bula de Zina, o medicamento pode provocar os seguintes efeitos colaterais:

Reações comuns – ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes:

  • Secura da boca;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga (cansaço).

Reações incomuns – ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes:

  • Astenia (ausência ou perda da força muscular);
  • Dor abdominal.

Reações com frequência desconhecida – não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis:

  • Palpitação cardíaca (alteração dos batimentos do coração);
  • Taquicardia (aumento dos batimentos do coração);
  • Alterações visuais (alteração da visão);
  • Visão embaçada;
  • Hepatite (inflamação no fígado caracterizado por coloração amarelada da pele e olhos);
  • Hipersensibilidade (alergia aos componentes da fórmula);
  • Dispneia (sensação subjetiva de falta de ar);
  • Náusea (sensação de desconforto na região do estômago);
  • Vômitos;
  • Edema (inchaço causado por acúmulo de líquido);
  • Prurido (sensação de coceira);
  • Rash (vermelhidão na pele causada por alergias);
  • Urticária (reação alérgica manifestada por elevação da pele acompanhada de vermelhidão),
  • Erupções na pele;
  • Alterações no comportamento (agitação, depressão, agressão, alucinação, insônia, ideias suicidas, pesadelos);
  • Convulsões;
  • Parestesia (sensação de formigamento ou de ardência na pele não causadas por estímulo exterior ao corpo);
  • Tontura;
  • Síncope (desmaio);
  • Tremor;
  • Disgeusia (alteração do paladar);
  • Mialgia (dor nos músculos);
  • Artralgia (dor situada nas articulações);
  • Vertigem;
  • Disúria (dificuldade em urinar);
  • Retenção urinária.

Reações em investigação:

  • Teste da função hepática anormal (alterações de exames laboratoriais do fígado).

Ao experimentar qualquer um dos efeitos colaterais mencionados acima ou ainda algum outro tipo de reação adversa, procure rapidamente o auxílio do médico, mesmo que o sintoma em questão não tenha a aparência de ser grave.

Isso é fundamental para checar a seriedade da reação em questão, receber o tratamento apropriado caso seja necessário e saber como deve proceder em relação à continuidade do uso de Zina de maneira segura.

Contraindicações e cuidados com Zina

O medicamento não pode ser utilizado nos seguintes casos:

  • Quando o paciente tiver hipersensibilidade (alergia) a levocetirizina ou a cetirizina, a qualquer outro componente da formulação do remédio, à hidroxizina ou a qualquer derivado piperazínico;
  • Quando o paciente sofrer com insuficiência renal terminal (problema grave nos rins) com clearance de creatinina (volume filtrado pelos rins a cada minuto) inferior a 10 mL/min;
  • Quando o paciente estiver sendo submetido à diálise (procedimento para filtração do sangue);
  • Quando a paciente mulher estiver amamentando – a menos que o benefício para a mãe seja maior que qualquer risco teórico para a criança., o que deve ser determinado pelo médico;
  • Para crianças com menos de seis anos de idade.

O uso de Zina exige precauções para os seguintes casos:

  • Mulheres grávidas – para quem o uso do medicamento precisa ocorrer com o acompanhamento do médico;
  • Pacientes com fatores de predisposição de retenção urinária (por exemplo, lesão da medula espinhal, hiperplasia prostática), uma vez que a levocetirizina pode aumentar o risco de retenção urinária;
  • Pacientes com epilepsia e em risco de convulsão uma vez que a levocetirizina pode causar agravamento da convulsão;
  • Pacientes idosos – o uso do medicamento em idosos com insuficiência renal exige o ajuste na dose conforme a necessidade do paciente.

Como o tratamento com Zina pode prejudicar a atenção e a habilidade, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas enquanto estiver se tratando com o remédio.

A pessoa que sofrem com comprometimento da função dos rins associado ao comprometimento da função do fígado precisa informar ao médico a respeito do problema ao receber a prescrição de usar o medicamento porque este caso exige ajuste na dose.

Durante o tratamento com Zina, o paciente precisa ser cuidadoso em relação à sua ingestão de bebidas alcoólicas, já que em pacientes sensíveis, o uso do medicamento associado ao álcool ou a outras substâncias que agem deprimindo o sistema nervoso central pode produzir uma redução adicional do estado de alerta e do rendimento (pode diminuir a atenção).

O paciente também precisa informar ao médico antes de iniciar o tratamento caso faça uso de qualquer remédio, suplementos alimentares ou planta medicinal para que o profissional verifique se não faz mal usar Zina e a substância em questão ao mesmo tempo. As informações são da bula de Zina.

Posologia de Zina

Como a bula do medicamento alerta, o paciente deve seguir todas as orientações do médico, respeitando os horários de uso de remédio, a dosagem e a duração do tratamento indicados pelo profissional.

O documento também destaca que o medicamento deve ser ingerido via oral e engolido de uma única vez com o auxílio de líquidos. Os comprimidos de Zina não podem ser partidos, mastigados ou abertos e podem ser tomados antes ou depois das refeições, completa a bula.

A dosagem do remédio varia de paciente para paciente, conforme o perfil de cada um, e, portanto, deve ser determinada pelo médico responsável de tratamento. Porém, a bula ressalta que o limite máximo diário de administração recomendado é de 5 mg.

Atenção

Este artigo serve unicamente para informar e jamais pode substituir a consulta ao médico e a leitura da bula do remédio antes do início do tratamento. Não comece a usar um medicamento sem antes conversar com o médico e ler toda a bula. Acesse aqui a íntegra da bula de Zina.

Referências Adicionais:

Você conhece alguém que já tenha utilizado e afirme que o medicamento Zina engorda? Tem receio de usá-lo por conta desses efeitos colaterais? Comente abaixo!

1 Estrela

2 Estrelas

3 Estrelas

4 Estrelas

5 Estrelas

(2 votos, média: 5,00 de 5)

Loading…

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

Zina Engorda? Dá Sono? Para Que Serve e Posologia - Posts relacionados