Pode ser do seu interesse

Estética

Gravidez Dá Espinha? Como Evitar e Como Tratar

A gravidez é um período repleto de muitas mudanças, que podem ser psicológicas e físicas. Isso acontece porque durante a gestação o corpo da mulher se transforma para abrigar um novo ser, e cada mulher reage de forma diferente a essas transformações. Por exemplo, algumas sofrem com enjoos, inchaços, doenças gestacionais e outros problemas, enquanto outras passam por essa etapa de forma plena, sem experimentar essas condições.

Uma das principais reclamações das futuras mamães é com a acne, mas será que a gravidez dá espinha mesmo? É justamente sobre esse assunto que falaremos aqui, então se você está preocupada com essa condição, descubra como evitar, e se elas já apareceram, veja aqui algumas dicas de como tratar. 

Gravidez dá espinha?

A resposta para essa pergunta é sim, a gravidez dá espinha. Embora não seja uma regra, a quantidade de mulheres que sofre com a acne durante a gravidez é grande, e geralmente as mais predispostas são aquelas que têm um histórico de acne ou erupções no início do ciclo menstrual.

As espinhas são mais comuns durante o primeiro e segundo trimestres da gravidez. Normalmente, ela é o resultado do aumento nos hormônios andrógenos, que pode fazer com que as glândulas da pele cresçam e produzam mais sebo, uma substância oleosa e cerosa. Quando esse aumento acontece, este óleo pode obstruir os poros e abrir espaço para abrigar bactérias, inflamação e espinhas.

Se você não desenvolver acne durante o primeiro trimestre, é muito improvável que elas apareçam durante o segundo ou terceiro trimestres da gravidez. 

Como evitar?

Infelizmente, quando existe uma predisposição não há maneira efetiva de impedir o seu aparecimento. Mas, ainda assim, existem muitos métodos para ajudar a reduzir a sua gravidade e manter as espinhas controladas.

1. Conheça o seu tipo de pele

O tipo de pele não impede o desenvolvimento da acne, porém conhecer o seu tipo pode ajudar a escolher os produtos certos para os cuidados diários.

Geralmente as mulheres que têm a pele oleosa são mais afetadas, mas aquelas que têm áreas secas e oleosas, como testa, nariz e queixo, chamadas de zona T, também podem experimentar as espinhas.

Procure identificar o seu tipo de pele e na hora de comprar os produtos, opte por aqueles que realmente poderão atender à sua necessidade. Tomar esse cuidado pode efetivamente ajudar a impedir o seu surgimento ou impedir que elas se agravem.

2. Limpe adequadamente

A higienização correta é um dos principais recursos para evitar as espinhas. Através dela é possível remover o excesso de óleo, sujeira e suor, diariamente. No entanto, se for feita em excesso, o efeito será contrário, por exemplo, lavar o rosto mais de duas vezes por dia pode piorar a acne.

Outro cuidado importante é evitar produtos agressivos. Prefira sempre aqueles que não contêm álcool e que não interferem na gravidez.

3. Use hidratantes

Os hidratantes são fundamentais para promover a hidratação da pele. Porém, é preciso escolher aqueles sem perfume porque a maioria contém óleo, fragrância sintética ou outros ingredientes que podem irritar a pele e causar mais espinhas.

4. Faça uma esfoliação periodicamente

A esfoliação é ótima para evitar o surgimento de espinhas e se for feita com produtos naturais, pode ser usada com segurança durante a gravidez.  Inclusive, ela é até melhor, porque a pele da mulher grávida costuma se tornar mais sensível.

A aveia é um alimento a ser considerado para esse fim, pois ela ajuda a desobstruir os poros. Porém, é preciso fazer isso com delicadeza, pois os movimentos bruscos podem estimular a acne.

5. Beba muita água e outros líquidos

Manter-se hidratado já é importante para a gravidez, e se você pretende evitar ou tratar a acne, ela é fundamental. Quando o corpo está desidratado, ele pode enviar sinais para que as glândulas da sua pele produzam mais óleos. A desidratação também potencializa a inflamação e vermelhidão.

Beba pelo menos oito copos de água por dia, aumente essa quantidade se estiver realizando exercícios e se estiver em ambientes quentes e úmidos.

6. Evite lugares quentes

Estar em ambientes que te exponham a muito calor pode fazer o corpo superaquecer, e essa condição pode potencializar o surgimento de espinhas. Quando as mulheres estão grávidas, essa condição é ainda mais séria, pois as gestantes têm menos tolerância ao calor, já que a energia é dividida com o bebê em formação.

Manter uma temperatura corporal ideal é uma obrigação, e vai ajudar a evitar espinhas e também a manter seu corpo saudável.

7. Limite de exposição ao sol

O excesso de sol pode causar problemas quando o assunto é espinhas. A exposição solar frequente desidrata a pele, o que, com o tempo, produz mais óleo e bloqueia os poros.

Outro aspecto fundamental para a exposição ao sol é o uso do protetor solar. Porém, a maioria deles são oleosos e podem agravar a acne. Para obter uma proteção efetiva e evitar as espinhas, use protetor solar não-comedogênico e isento de óleo.

8. Evite a maquiagem

Se existe uma predisposição, usar maquiagem pode obstruir os poros e desencadear surtos de espinhas. Nessa fase, prefira usar aquelas que não são gordurosas, não-comedogênicos, transparentes e sem fragrância.

Além da maquiagem, alguns shampoos oleosos, sabonetes líquidos para o corpo, e os produtos para o cabelo podem causar espinhas. Então, escolha opções livres de óleo e não-comedogênicos.

9. Evite passar as mãos no rosto

As mãos são portadoras de sujeiras e bactérias, o que significa que cada vez que você toca no rosto, algumas dessas impurezas podem ser transferidas para sua pele.

Sabemos que é difícil evitar totalmente essa condição, então procure lavar as mãos regularmente e tocar o mínimo possível o seu rosto.

10. Não mexa nas espinhas

Nós entendemos que o desejo de espremer aquela espinha é tentador, mas quando você faz isso pode causar sangramento, cicatrizes graves e até uma infecção. O simples fato de “cutucar” a espinha também pode aumentar a inflamação e entupir os poros, piorando consideravelmente o problema.

11. Evite certos alimentos

Durante a gravidez, a alimentação saudável já é prioridade, e ela também pode trazer efeitos positivos para evitar a acne. Isso acontece porque os alimentos e bebidas com alto índice glicêmico, como batatas fritas, assados ​​feitos com farinha branca e refrigerantes, são apontados como capazes de aumentar os níveis de açúcar no sangue, um efeito que viabiliza o surgimento de espinhas.

Alguns estudos também apontam os laticínios como responsáveis por desencadear espinhas. No entanto, antes de mudar a sua alimentação para esse fim, converse com o seu médico, pois você deve considerar que existe um bebê em formação que depende de você.

Como tratar?

Se mesmo diante de todos os cuidados para evitar o seu surgimento você percebe que a sua gravidez dá espinha ainda, você pode adotar alguns métodos, considerados seguros para serem usados por gestantes.

– Vinagre de maçã

O vinagre de maçã já é usado para tratar doenças e promover a saúde, e ele também pode ser uma solução natural para combater a acne durante a gravidez. Mas, para promover esses efeitos. é necessário comprar a versão orgânica, crua e não filtrada, pois essa é natural e livre de compostos prejudiciais.

Aplicar o vinagre de maçã ajudará a sua pele para absorver o óleo. Se você quiser criar um toner natural que é rico em enzimas naturais e alfa-hidroxiácidos, misture uma parte de vinagre a três partes de água destilada.

– Vitamina A

Muitas pessoas que sofrem de acne recorrem ao retinol para tratar, mas durante a gravidez ele não é recomendado. A solução para compensar é comer alimentos ricos em vitamina A.

Por exemplo, a cenoura, abóbora, tomate, ovos e peixe contêm essa vitamina em abundância e quando ingerida ela pode trazer um efeito parecido com o do retinol, mas com o bônus adicional de estimular a sua saúde e a do seu bebê.

– Vitamina C

A maioria das gestantes apresenta uma deficiência de vitamina C, uma condição que pode aumentar as chances de desenvolver espinhas durante a gravidez.

Existem dois caminhos para usar a vitamina C para o tratamento da acne. A primeira é usar um produto contendo vitamina C e a segunda é comer alimentos que contenham este nutriente de construção de colágeno.

O mercado oferece inúmeros produtos que contêm vitamina C, mas se sua intenção é ingerir alimentos ricos na vitamina, aposte nas verduras, frutas cítricas, morangos, couve de Bruxelas e muitos outros. Como eles são alimentos altamente nutritivos, além de ajudar a eliminar as espinhas, poderão contribuir com a saúde.

– Zinco

O zinco é um mineral necessário durante a gravidez, pois ele é responsável pelo crescimento celular. Durante a gestação, existe um crescimento muito mais acelerado das células, por isso o corpo da mulher grávida precisa de mais zinco. Além disso, um estudo mostrou que existe uma relação entre os baixos níveis de zinco e a acne, sendo assim, adicionar zinco à sua dieta pode ser útil.

Os alimentos que contêm altos níveis de zinco são: espinafre, sementes de abóbora, feijão e carne, mas se você prefere tomar um suplemento, é preciso conversar com o seu médico antes, pois somente ele poderá afirmar se você poderá tomar ou não.

– Óleo de coco

Durante a gravidez pode ser necessário mudar os produtos que são comumente utilizados. Isso pode acontecer porque a química da pele pode mudar por causa dos hormônios.

Como vimos, a hidratação da pele é fundamental para evitar as espinhas, mas se seu hidratante não está trazendo os efeitos esperados, você pode substituir por algo mais natural, como o óleo de coco.

Ele ajudará a tratar as espinhas porque sua composição carrega propriedades antibacterianas e antifúngicas que podem manter a acne sob controle. Aplicar este óleo na sua pele uma vez por dia já pode trazer uma contribuição significativa, e você pode usar também para cozinhar.

– Bicarbonato de sódio

Bicarbonato de sódio é um produto facilmente encontrado e pode ser usado durante a gravidez. Sua contribuição para tratar as espinhas é significativa, pois ele é capaz de secar o óleo da pele, uma condição que ajuda a curar a acne.

A melhor forma de usar é misturar 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio com 1 colher de sopa de água e aplicar somente nas espinhas (não espalhe nas áreas que estão limpas). Deixe secar e lave na sequência com água corrente.

– Suco de limão

O limão contém ácido alfa hidroxi, e quando ele é aplicado na pele, ajuda a eliminar a oleosidade, desobstruir os poros e a retirar as células mortas. As propriedades adstringentes e antibacterianas também o tornam um potente esfoliante, capaz de ajudar a combater as espinhas.

Para usar, esprema o suco de um limão e aplique diretamente na espinha, com a ajuda de uma bola de algodão. Deixe por 10 minutos ou até secar, e depois lave com água fria.

Comer limões também pode ser bom para acne. No entanto, grandes quantidades podem piorar a azia, especialmente se a gestante tem refluxo ácido. A melhor coisa a fazer, neste caso, é consultar o seu médico.

– Mel

O meu é um alimento muito nutritivo, e ele impulsiona a saúde, ajudando a evitar algumas doenças. Além de ser ingerido oralmente, ele pode ser usado de forma tópica, especialmente se você percebe que a gravidez dá espinha. A sua ajuda para tratar a acne está relacionada às suas propriedades antibacterianas e antissépticas, além de ajudar a acalmar a pele.

Para aplicar, é preciso lavar a pele com água morna para abrir os poros. Depois, basta aplicar o mel diretamente na área afetada. Deixe por 20 ou 30 minutos e enxague com água morna.

– Óleo da árvore do chá

Óleo da árvore do chá é considerado um produto seguro para mulheres grávidas, e ele pode oferecer muitos benefícios para aquelas que precisam cuidar da acne. Existem muitos produtos que carregam o óleo em sua composição, mas você pode comprar algum que não tenha outras misturas, ou seja, só o óleo puro.

Este óleo contém propriedades antissépticas, que ajudam a matar as bactérias, evitando que as espinhas apareçam em seu rosto.

Aplique algumas gotas na área afetada e deixe no rosto durante a noite. Pela manhã remova com água corrente.

Grávida pode tomar remédios para tratar as espinhas?

Alguns remédios para o tratamento de acne podem ser usados durante a gravidez, mas eles devem ser receitados por um profissional especializado. Existem cuidados que devem ser considerados porque qualquer medicação aplicada topicamente ou ingerida durante a gravidez pode entrar na corrente sanguínea e chegar ao bebê. Diante dessa possibilidade, o médico analisará se a quantidade recomendada poderá apresentar um possível risco para o bebê ou para a gravidez.

Geralmente, os medicamentos contendo eritromicina e clindamicina são considerados seguros. Já a segurança do peróxido de benzoíla para tratar a acne na gravidez não foi estabelecida, então ele só é receitado se for extremamente necessário e seu uso deve ser assistido.

Já os medicamentos para acne que podem causar defeitos congênitos como: isotretinoína oral e retinoides tópicos, devem ser evitados totalmente durante a gravidez.

Se você percebe que sua gravidez dá acne e isso é uma preocupação, ou se tem incomodado muito você, consulte um médico dermatologista. Ele será capaz de recomendar o tratamento, além de avaliar os riscos. Em relação às alternativas que citamos acima, todas são consideradas seguras, isso significa que você pode usar sem preocupação.

Referências adicionais:

Você já tinha ouvido falar que gravidez dá espinha? Já percebeu o aumento de espinhas desde que ficou grávida? Procurou um dermatologista para cuidar direito? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

Gravidez Dá Espinha? Como Evitar e Como Tratar - Posts relacionados