Pode ser do seu interesse

Bem Estar

Flatulência Exagerada – O Que Pode Ser? O Que Fazer?

A flatulência também é conhecida popularmente como gases, pum, e mais vulgarmente como peido, entre muito outros. Independente da idade, sexo, raça, religião ou cultura, fato é que todos nós fazemos isso algumas vezes por dia.

Normalmente, as pessoas saudáveis ​​soltam gases entre 10 e 20 vezes por dia, no entanto, algumas pessoas podem ultrapassar bastante essa quantidade. A flatulência exagerada pode ter uma origem totalmente inofensiva, causada pela ingestão de alguns alimentos, por exemplo, ou pode indicar alguma complicação de saúde mais séria.

O que é flatulência?

Flatulência é um termo médico utilizado para a liberação de gás do sistema digestivo através do ânus. Esses gases geralmente se formam quando comemos ou engolimos saliva, processos que nos condicionam a engolir pequenas quantidades de ar, ou podem ser formados pelo próprio sistema digestivo.

Durante o processo de digestão, os gases vão se acumulando e o corpo precisa eliminar de alguma forma. É nesse momento que existe uma liberação, principalmente na forma de hidrogênio, metano e dióxido de carbono.

O que causa gases?

Muitas pessoas se perguntam o que causa gases e porque eles afetam mais algumas pessoas do que outras. A flatulência costuma ser o resultado dos processos corporais normais que citamos acima ou de um problema que afeta o sistema digestivo.

Durante a ingestão de alimentos ou quando engolimos saliva – particularmente quando o excesso de saliva é produzido, devido à náusea ou refluxo ácido – o nosso corpo recebe o ar dessas fontes externas. No entanto, o gás também pode ser um subproduto da digestão de certos alimentos, ou pode acontecer quando eles não são completamente digeridos.

A flatulência pode não ter nenhum cheiro, mas quando os alimentos levam muito tempo para serem digeridos, um cheiro desagradável pode acompanhá-la. Além disso, o corpo pode não absorver alguns alimentos totalmente, o que significa que eles passam do intestino para o cólon sem serem completamente digeridos primeiro. O cólon contém uma grande quantidade de bactérias que liberam gases quando quebram os alimentos, e é exatamente o acúmulo desse gás que causa a flatulência.

Flatulência exagerada – O que pode ser?

Como vimos, a flatulência pode ser o resultado da alimentação e também de alguns processos corporais. No entanto, o excesso pode ser o resultado da ingestão de alguns alimentos que causa esse efeito colateral e também pode indicar problemas médicos subjacentes, que precisam de atenção.

Alimentação

  • Lentilhas e feijões;
  • Laticínios, incluindo leite, queijo, sorvete e iogurte;
  • Produtos de soja, como tofu e leite de soja;
  • Legumes, como couve de Bruxelas, brócolis, couve-flor, repolho, rabanete, aspargos, alcachofras, cebolas, cogumelos, brotos, pepinos, alho-poró, alho e nabos;
  • Frutas como maçãs, pêssegos, peras e sucos de frutas;
  • Grãos integrais e farelo;
  • Álcool, especialmente a cerveja, que é uma bebida carbonatada;
  • Bebidas carbonatadas;
  • Bebidas que contêm xarope de milho, que é rico em frutose;
  • Adoçantes artificiais como sorbitol e manitol encontrados em doces, gomas de mascar e alimentos doces sem açúcar.
  • Fibras, especialmente as que contêm psyllium, podem aumentar a quantidade de gases se forem adicionadas muito rapidamente à dieta.

Se sua dieta não é rica em carboidratos ou açúcares e se você não ingere ar excessivamente, a flatulência exagerada pode estar ligada a uma condição médica. Segundo a Mayo Clinic, o excesso é caracterizado por mais de 20 flatulências por dia.

Demais causas

  • Intolerância à lactose: As pessoas intolerantes à lactose não possuem enzimas para quebrar após a sua ingestão. Essa condição permite que as bactérias se alimentem da lactose, e isso pode produzir grandes quantidades de gás.
  • Doença celíaca: Ser intolerante ao glúten pode provocar uma flatulência exagerada após o consumo de cevada, trigo e centeio.
  • Condições de saúde subjacentes: Outras condições crônicas podem causar flatulência exagerada. Por exemplo, a doença de Crohn, colite ulcerativa ou diverticulite. Além disso, alguns tipos de câncer podem levar a um bloqueio nos intestinos.
  • Problemas na vesícula biliar: Quando você tem cálculos biliares e colecistite, o corpo pode gerar mais gás e causar flatulência exagerada.
  • Constipação: A falta de movimentação das fezes pode dificultar a expulsão natural do excesso de gás. Essa condição pode causar um maior acúmulo e também um desconforto físico.
  • Gastroenterite e outras infecções intestinais: Experimentar uma infecção do sistema digestivo ou intoxicação alimentar, seja ela viral, bacteriana ou parasitária, pode causar um acúmulo de gás. As mais comuns são: infecção por Escherichia coli (E. coli), amebíase e giardíase.
  • Uso de antibióticos: Esse tipo de medicamento costuma matar bactérias nocivas para a saúde, mas também as bactérias boas, que ajudam a regular a flora intestinal. Quando ela está desiquilibrada, o sistema digestivo pode ser afetado, causando mais flatulência do que o normal.
  • Uso de laxantes: Eles costumam ser um recurso para tratar problemas de constipação, no entanto, o uso regular e excessivo pode estimular a produção de gás.

A gravidez, hérnia, pancreatite, doença de Hirschsprung, síndrome pré-menstrual, endometriose e outros problemas também são apontados por causar flatulência exagerada. Se houver sinais de envenenamento ou bloqueio ou sangue nas fezes é necessário atendimento urgente. Mas, se perceber um aumento repentino na condição, procure ajuda médica para investigar.

Diagnóstico

Um médico pode ajudar a descobrir o que está causando esse excesso de flatulências e recomendar maneiras de aliviar os sintomas.

Geralmente, durante uma consulta, o profissional questionará seu histórico médico e hábitos alimentares. Ele também pode realizar um exame físico para determinar se há alguma distensão no abdômen que está causando o problema, e tentar escutar se há gás no abdômen.

Também investigará se é necessário força para evacuar, se há dor abdominal após as refeições e quanto tempo dura o excesso de gases.

Isso poderá ajudar o médico a decidir se o paciente precisa de algum tratamento, ou apenas de algumas mudanças nos hábitos alimentares.

O que fazer?

Se a causa estiver ligada a um problema subjacente, o médico será capaz de recomendar o tratamento adequado. No entanto, se a condição for mais simples, muitas abordagens podem ajudar a liberar o gás preso ou impedir que ele se acumule. Confira:

1. Deixe os gases sair

Se for possível, não segure os gases. Mantê-los presos pode causar inchaço, desconforto e dor abdominal. Liberar quando tiver vontade ajudará a evitar esses sintomas.

2. Se sentir vontade de evacuar, faça!

Como vimos, a constipação intestinal pode aumentar os gases nos intestinos, sendo assim uma evacuação pode ajudar a aliviar. Isso acontece porque quando as fezes se movimentam, elas geralmente liberam qualquer gás preso nos intestinos.

3. Coma devagar

Comer apressadamente ou fazer isso em movimento pode promover a ingestão de ar, aumentando consideravelmente a quantidade de gases. Procure mastigar o alimento que está na boca pelo menos 30 vezes, pois a boa mastigação impulsionará a digestão e pode evitar o inchaço, indigestão e formação de gases.

4. Evite goma de mascar

Mastigar uma goma de mascar nos faz engolir mais ar que o normal, aumentando a probabilidade de gases presos e dores abdominais. Além disso, a goma sem açúcar contém adoçantes artificiais, e eles podem causar inchaço e gases.

5. Evite tomar líquidos com canudo

Sempre que possível, prefira beber líquidos no copo. Quando usamos canudinho, a quantidade de ar que ingerimos é muito maior. Beber direto na lata ou garrafa também pode causar o mesmo efeito, sendo assim, sempre que possível evite.

6. Elimine o cigarro

Fumar é mais um hábito que faz com que o ar entre no trato digestivo e pode provocar flatulência exagerada. Além disso, diante de tantos problemas que ele pode causar, parar de fumar pode não só diminuir os gases como promover a saúde de várias maneiras.

7. Escolha bebidas sem gás

As bebidas gaseificadas mais comuns são água com gás e refrigerantes. Quando consumidas, elas carregam muito gás para o estômago e sequencialmente para o intestino e isso pode causar inchaço, dor e flatulência exagerada.

8. Reveja sua dieta

Observe o que está ingerindo. Se sua dieta é repleta de alimentos ricos em carboidratos de difícil digestão, tente substituí-los. Incluir batatas, arroz e banana causam menos incidências de gases. 

9. Mantenha um diário alimentar

Anotar tudo o que você come pode ajudar a descobrir alimentos que causam a flatulência exagerada. Quando souber exatamente quais são os gatilhos, você pode evitá-los ou comer menos quantidades desses alimentos.

10. Coma menos

Fazer mais refeições por dia com porções menores contribuirá consideravelmente com seu processo digestivo, porque quando a digestão é feita corretamente, os gases não se acumulam no intestino. 

11. Beba chá

Chás de ervas são usados para tratar diversos problemas de saúde e eles podem ajudar a melhorar a digestão e reduzir os desconfortos causados pelos gases rapidamente. O mais eficazes para essa condição são: camomila, gengibre e hortelã. Se além dos gases você estiver constipado, outra alternativa é o anis, que age como um laxante suave. No entanto, ele deve ser evitado se houver um quadro de diarreia.

12. Tome suplementos de hortelã

As cápsulas de óleo de hortelã-pimenta são um recurso usado há tempos para tratar problemas como inchaço, constipação e gases presos, e sua eficácia é inclusive apoiada por algumas pesquisas científicas.

Porém, na hora de comprar, escolha aquelas que tenham cápsulas com revestimento entérico. Cápsulas não revestidas podem se dissolver muito rapidamente e provocar azia. Outro cuidado é em relação à anemia, pois o fato da hortelã-pimenta inibir a absorção de ferro pode prejudicar pessoas que tenham anemia.

13. Óleo de cravo

O óleo de cravo é recomendado para diminuir sintomas de problemas digestivos, incluindo inchaço, gases e indigestão. Consumir o óleo de cravo após as refeições pode aumentar as enzimas digestivas e reduzir a quantidade de gás nos intestinos.

14. Compressa quente

Se você experimenta sintomas como dores abdominais causadas pelos gases, a compressa quente pode ajudar. Usar uma almofada de aquecimento ou uma toalha umedecida em água quente pode ajudar os músculos do intestino a relaxar, ajudando o gás a se mover pelos intestinos. O calor também pode reduzir a sensação de dor.

15. Beba água com vinagre de maçã

O vinagre de maçã pode ajudar a tratar as dores provocadas pelos gases rapidamente. Isso acontece porque ele estimula a produção de ácido gástrico e enzimas digestivas.

Para usufruir desses benefícios, adicione uma colher de sopa de vinagre a um copo de água e beba antes das refeições. É importante escolher o vinagre cru orgânico e enxaguar a boca com água, para evitar que ele estrague o esmalte dos dentes.

16. Use carvão ativado

O carvão ativado é um produto natural que pode ser comprado em farmácias, drogarias e em lojas de produtos naturais, sem receita médica.

Quando ingerido antes e depois das refeições, ele ajuda a diminuir o acúmulo de gases, evitando a constipação e náuseas. Um efeito colateral é que o carvão ativado pode tornar as fezes pretas. Esta descoloração é inofensiva e deve desaparecer se a pessoa parar de tomar suplementos de carvão.

17. Use suplementos probióticos

Os suplementos probióticos ajudam a aumentar a quantidade e diversificar as bactérias benéficas do intestino, e as cepas de Bifidobacteria e Lactobacillus são consideradas as mais eficazes.

Algumas pesquisas sugerem que certas cepas de probióticos podem aliviar o inchaço, gases intestinais, dor abdominal e outros sintomas ligados à síndrome do intestino irritável.

18. Faça exercícios físicos regularmente

Os exercícios ajudam a saúde de várias maneiras, e os mais suaves podem relaxar os músculos do intestino, ajudando a movimentar os gases acumulados através do sistema digestivo. Caminhar ou fazer yoga após as refeições pode ser especialmente benéfico.

19. Tente medicamentos isentos de prescrição

Alguns medicamentos de venda livre podem ajudar a tratar os sintomas causados pela flatulência exagerada. Os mais comuns incluem:

  • Antiácidos: Especialmente aqueles que contêm simeticona;
  • Lactase (Lactaid e Dairy Ease): São úteis para ajudar pessoas com intolerância à lactose a fazer a digestão corretamente e eliminar os gases;
  • Beano: Contém a enzima que ajuda a digerir açúcares em feijões e muitos outros vegetais, evitando assim o excesso de gases causados por alguns alimentos.

Palavras finais

Não há consequências se a flatulência exagerada, causada por excesso de ar ou alimentação, não for tratada. Porém, se ela for proveniente de um problema como intolerância alimentar ou problema digestivo, a condição pode piorar significativamente e outros sintomas também podem se desenvolver.

Mesmo sem impactos para a saúde, vale investir em um tratamento, pois a flatulência exagerada pode restringir suas interações sociais e se isso afetar consideravelmente seu estilo de vida, e também afetar o seu humor.

Procure seguir essas dicas para minimizar o problema, mas não deixe de consultar o seu médico se a condição começar a afetar negativamente a sua vida.

Referências adicionais:

Você já percebeu que possui flatulência exagerada? Acredita que isso possa ser causado por uma condição específica ou simplesmente a alimentação? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

Flatulência Exagerada – O Que Pode Ser? O Que Fazer? - Posts relacionados