Pode ser do seu interesse

alimentação saudável|ansiedade|Bem Estar|saúde da mulher

Como a ansiedade e problemas emocionais interferem no funcionamento do trato gastrointestinal

Funcionamento do trato gastrointestinal: entenda como fatores emocionais, dentre eles a ansiedade, mal que atinge grande parte dos brasileiros podem interferir nesta função vital para o corpo humano.

Estresse e má digestão estão intimamente ligados, afinal, nossas emoções têm papel importante tanto em nosso comportamento alimentar,quanto no funcionamento fisiológico do trato gastrointestinal.

Dependendo da emoção que estamos vivenciando, processamos os alimentos de forma diferente, além de termos sentimentos que nos levam a perder a fome, ou à compulsão alimentar.

O que é o trato gastrointestinal?

o que é trato gastrointestinal

O trato gastrointestinal é o sistema responsável pela digestão dos alimentos que consumimos. Ele pode ser dividido em:

  • Superior, que corresponde a boca, faringe, esôfago e estômago.
  • Inferior, que corresponde ao intestino delgado e intestino grosso.

Além da digestão, o trato gastrointestinal também tem função imunológica, sendo uma das barreiras iniciais da entrada de organismos patogênicos.

Como funciona a digestão dos alimentos?

A digestão dos alimentos consiste na quebra de moléculas mais complexas (alimentos) para mais simples (nutrientes) a fim de serem absorvidas no intestino.

Essa quebra é feita mecanicamente, através da mastigação, e quimicamente, através de enzimas e outras substâncias auxiliares como a bile, hormônios e, até, pela flora intestinal.

Após a digestão, os nutrientessãoabsorvidos no intestino grosso, sendo o resto excretado.

Por que as emoções afetam o funcionamento do trato gastrointestinal?

Isso acontece pois, diante de emoções fortes, o corpo desvia o fluxo sanguíneo para partes específicas do corpo, deixando o trato gastrointestinal com velocidade reduzida e pouca circulação de sangue, o que interfere no rendimento da digestão.

Além disso, há uma alteração na produção hormonal, que interfere no metabolismo e produção de enzimas digestivas.

Ademais, sabe-se que o intestino tem seu próprio sistema nervoso, com ligação direta ao cérebro. Hoje o intestino é conhecido como nosso segundo cérebro.

Nossas emoções x escolhas alimentares

nossas emoções x escolhas alimentares

Apesar de estarmos falando sobre digestão, é importante que saibamos que a nutrição não derivam somente de um bom funcionamento do trato gastrointestinal, mas também das escolhas alimentares que fazemos.

Em momentos de estresse, tristeza e ansiedade, temos uma tendência a escolher alimentos de calorias vazias, ou seja, calóricos, mas sem nutrientes.

Doces, salgadinhos, carboidratos simples… são as primeiras escolhas de quem está passando por um momento de oscilação de emoções. Outras vezes, tristeza e depressão podem levar à ausência de fome e vontade de comer – que a longo prazo também é prejudicial.

A falta de nutrientes essenciais na dieta e um desequilíbrio alimentar causam diminuição no metabolismo, oscilações hormonais e consequentemente de humor. Más escolhas alimentares também podem levar à doenças no trato gastrointestinal, por este motivo, o acompanhamento nutricional é importante para termos uma rotina alimentar saudável.

Nossas emoções x velocidade da mastigação

Quanto mais ansiosos estamos mais rápido realizamos nossas refeições, e isso ocorre em detrimento da mastigação da nossa comida. Existe duas razões principaispelas quais precisamos mastigar bastante os alimentos: 

  1. A digestão dos alimentos começa pela boca: na boca a digestão ocorre em duas frentes – a digestão mecânica e química. A mecânica é no ato de quebrar o alimento, para que as enzimas que fazem a digestão dos alimentos tenha maior superfície de contato e assim retire o máximo possível de nutrientes. A química ocorre pela saliva contém enzimas responsáveis pela digestão do amido/açúcares que ingerimos. Quanto mais tempo mantemos o alimento em nossa boca, melhor será a ação dessa enzima e facilitará o resto da digestão que ocorrerá posteriormente.
  • Sinal de saciedade: é através do ato de mastigar que nosso corpo libera os primeiros sinais de saciedade para o cérebro. Quanto mais mastigamos, mais sinais são enviados, reduzindo assim a quantidade de comida que precisamos comer para nos sentir satisfeitos.

Caso o alimento não seja bem mastigado, o funcionamento do trato gastrointestinalé afetado com digestão mais lenta já que os alimentos não foram suficientemente triturados, podendo levar até a digestão incompleta e causando mal-estar. Outra consequência da mastigação acelerada é a aerofagia, ato de engolir ar em excesso durante a alimentação, que promove um desconforto estomacal e náusea.

Nossas emoções x velocidade da digestão

A ansiedade é uma situação de estresse para nosso corpo. Sendo assim, nosso metabolismo se acelera pois entramos em estado de alerta, prontos para qualquer situação de perigo que apareça.

Esse estado de alerta é caracterizado pelo aumento de adrenalina, que tem entre suas funções aumentar o batimento cardíaco e o fluxo sanguíneo para nos preparar para agir.

No entanto, no caso do funcionamento do trato gastrointestinal, a adrenalina retarda o processo de digestão, reduzindo os movimentos peristálticos e a secreção de enzimas e hormônios – pois nosso corpo reserva todas as energias para o músculo durante este estado de alerta.

Nossas emoções x acidez estomacal

O estresse a ansiedade comprovadamente aumentam a produção de ácido gástrico no estômago, pois os hormônios ligados a essas emoções estimulam essa produção.

Como é comum, em momentos de estresse, que haja uma diminuição na ingestão de alimentos, esse excesso de ácido produzido passa a corroer a mucosa estomacal, levando a uma gastrite ou úlcera, ou pode também subir para o esôfago, o chamado refluxo.

Conexão: cérebro e intestino

conexão cérebro e intestino

Além de seu próprio sistema nervoso, que opera independente do cérebro, o intestino também contém uma flora intestinal que auxiliam na digestão e atua como parte de nosso sistema imunológico.

O sistema nervoso do intestino é responsável pela secreção de hormônios, entre eles a serotonina, conhecida como o hormônio da felicidade.

Mas, apesar de independente, o intestino tem uma ligação direta com o cérebro, feita através do nervo vago. Essa ligação é justamente o que leva mudanças no funcionamento do trato gastrointestinalcausadas pelas emoções, como por exemplo, o “frio na barriga” em um momento de ansiedade como, por exemplo, antes de uma apresentação em público.

O intestino hoje é o centro de muitas pesquisas devido a sua influência e todo o sistema metabólico.

Doenças do trato gastrointestinal ligadas à problemas emocionais

Náuseas, dor de estômago, distensão abdominal, excesso de gases, cólicas, azia, mau hálito, eructações frequentes, são sintomas clássicos para a maioria das doenças causadas pelo mau funcionamento do trato gastrointestinal. Veja agora algumas das doenças que possuem ligações com nossos problemas emocionais:

Refluxo gastroesofágico

O refluxo é uma doença caracterizada pelo mau funcionamento de uma válvula que separa o esôfago do estômago, fazendo que o ácido presente no estômago suba pelo esôfago e queime sua mucosa, que não é preparada para esse tipo de acidez.

A ansiedade está relacionada ao aumento de incidência desta doença, que, se não tratada pode gerar problemas secundários. 

O tratamento é feito através de alimentação, medicamentos e cirurgia, caso necessário.

Gastrite

gastrite

É uma inflamação da parede do estômago, podendo ser aguda ou crônica, dependendo da frequência dos sintomas apresentados pelo paciente.

Existem diversos fatores para o desenvolvimento da gastrite que não estão relacionados à problemas emocionais, no entanto, hoje em dia o estresse é um dos principais motivos que levam pacientes em busca de tratamento para gastrite. O tratamento é feito com dieta e medicação específica.

Úlcera gástrica

É uma ferida aberta da mucosa do trato gastrointestinal para o resto do corpo, geralmente causada por uma gastrite não-tratada. Essa ferida libera o conteúdo do trato gastrointestinal no corpo causando desintegração de outros órgãos e até necrose. O tratamento é feito através de medicação e cirurgia, conforme o caso.

Síndrome do Intestino Irritável

É uma inflamação das vilosidades intestinais, causando sintomas como dores, constipação ou diarreia, inchaço; que podem ser piorados devido ao estresse ou outras desordens emocionais.

Essa síndrome é crônica e não tem cura, apenas tratamento para amenizar os sintomas, que consiste em dieta equilibrada e controledo estresse.

Disbiose intestinal

A disbiose é um desequilíbrio da flora intestinal. Esse desequilíbrio está diretamente ligado às nossas emoções pois, o estresse é um dos causadores desta doença, assim como, após o desenvolvimento da disbiose, o humor se mantém instável devido aos desconfortos gastrointestinais causados por ela. O tratamento é feito com suplementação e dieta balanceada.

Constipação e diarreia

Apesar de opostos, tanto a diarreia quanto a constipação podem ser causadas por problemas emocionais, o sintoma vai depender da sensibilidade de cada pessoa.

Se for um sintoma pontual, como uma dor de barriga anterior a um evento importante, mantenha-se hidratado e cuide da alimentação.

No entanto, caso os sintomas se prolonguem, é importante procurar um médico para analisar se o problema estomacal é secundário a alguma outra doença que precise ser tratada.

Além dessas, algumas outras patologias inflamatórias podem ter as alterações de humor como um gatilho para ativar o quadro, como é o caso da Doença de Crohn.

Caso apresente algum sintoma procure um profissional da saúde para que possa orientar sobre a melhor forma de tratamento.

Tratamentos

Cada tipo de patologia apresenta uma forma de tratamento específica, mas quando causados ou agravados por problemas emocionais, este passa a ser um ponto em comum entre todas as formas de recuperação.

A orientação médica é essencial para identificar o grau de ansiedade, estresse ou outro problema correlato e qual a forma mais eficaz de tratamento, desde uma simples prática esportiva rotineira, até medicação com acompanhamento psiquiátrico. 

Modulação das emoções através da alimentação

gastrite

Nossas emoções são influenciadas pelo equilíbrio de alguns hormônios, responsáveis pela felicidade, estresse, adrenalina, etc. Felizmente, esses hormônios podem ser modulados pela alimentação.

Ou seja, podemos ingerir alimentos fonte de triptofano (como a banana), que irá se transformar em serotonina no corpo – um hormônio ligado à felicidade – e assim aumentamos a quantidade desse hormônio no corpo.

Os principais alimentos ligados à felicidade são: banana, castanhas, sementes, chocolate amargo, abacate, frutas cítricas, cúrcuma, hortaliças e probióticos. Estes alimentos possuem substâncias precursoras dos hormônios ligados à felicidade e bem-estar.

Aqui no blog Geração Fit apresentamos artigos específicos para os principais hormônios ligados às nossas emoções: serotonina, dopamina, endorfina, ocitocina. Para saber mais, cheque cada um deles!

Conclusão

Nossas emoções têm influência direta em nosso comportamento alimentar e funcionamento do trato gastrointestinal – desde as escolhas alimentares até o bom funcionamento do intestino. 

É importante estar alerta aos sintomas que seu corpo apresenta junto com oscilações emocionais, muitas vezes os sintomas do mau funcionamento do trato gastrointestinal se mostram mais fácil de serem percebidos do que a emoção e si – principalmente com a vida agitada e naturalmente estressante que levamos hoje em dia.

Algumas doenças também podem ser causadas, ou aceleradas, conforme nosso estado emocional. Independente da causa, todos sintomas que se apresentarem que não forem normais ou que durarem mais tempo que de costume, é necessário procurar auxílio profissional para identificar o problema e indicar o melhor tratamento.

Felizmente nossas emoções também podem ser moduladas através dos alimentos, sendo que uma rotina alimentar equilibrada já garante níveis hormonais adequados (caso não exista nenhuma patologia ou predisposição associada). 

Se manter presente em todos os momentos, inclusive durante as refeições é um primeiro passo para que se tome consciência corporal e do que se consome para nutri-lo. 

Conte para nós nos comentários como você sente as alterações em seu funcionamento no trato gastrointestinal quando está passando por situações e estresse e ansiedade. Ah, e não esqueça de deixar também o seu e-mail no campo abaixo para ser o(a) primeiro(a) a receber as atualizações do blog!

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

Como a ansiedade e problemas emocionais interferem no funcionamento do trato gastrointestinal - Posts relacionados