Pode ser do seu interesse

Remédios|suplementos

Antialérgico Que Não Dá Sono – 8 Mais Usados

Viver com alergias não é fácil, principalmente quando a maioria dos medicamentos antialérgicos aliviam os sintomas, mas causam efeitos colaterais como a sonolência diurna, que prejudica a execução de atividades rotineiras.

Hoje em dia, já existem alguns antialérgicos que prometem não fazer você sentir sono. Mas será que eles funcionam mesmo?

Aqui você vai descobrir quais são os tipos de antialérgico que não dá sono mais usados e se eles realmente são eficazes e cumprem o que prometem.

Antialérgico

Quando nosso corpo entra em contato com um alérgeno como poeira ou pólen, por exemplo, o sistema imunológico tenta se defender através da liberação de substâncias chamadas histaminas, que servem para combater o agente invasor. No entanto, a histamina desencadeia uma série de sintomas que são associados com uma alergia como nariz entupido, olhos lacrimejantes, irritação e coceira no nariz, irritação na garganta, dentre outros.

O antialérgico é um tipo de medicamento chamado de anti-histamínico. Ou seja, ele reduz os sintomas da alergia através do bloqueio da liberação de histaminas.

Esse bloqueio ocorre através do seguinte mecanismo: quando reações alérgicas ocorrem, o corpo libera histamina, que se liga a receptores biológicos chamados de H1 presentes em várias células das nossas membranas mucosas, que se encontram principalmente na boca, nos olhos e no nariz. Essa ligação da histamina nos receptores H1 desencadeia os sintomas alérgicos. Os anti-histamínicos são medicamentos formulados para se ligar nesses receptores H1 antes que a histamina o faça, reduzindo então os sintomas.

Efeitos colaterais de antialérgicos em geral

Existe uma grande variedade de antialérgicos na indústria farmacêutica e apesar de todos funcionarem bem para bloquear a ligação da histamina nos receptores H1, os anti-histamínicos não se ligam apenas nesses receptores. Eles também podem se ligar a outros receptores biológicos presentes no cérebro, causando efeitos colaterais como sonolência, boca seca, garganta seca e constipação.

Antialérgico que não dá sono

Mais tarde, foram formulados fármacos que não interagem com esses receptores no cérebro e atuam apenas nos receptores H1 presentes nas membranas mucosas da garganta e do nariz. Outros foram projetados para bloquear a liberação de histamina e afetar o sistema nervoso de forma diferente.

Dessa forma, eles não causam sonolência e não interferem nas atividades do dia a dia devido ao sono diurno.

Vamos ver então quais são os tipos de antialérgico que não dá sono mais usados atualmente.

1. Colírios

Sintomas alérgicos muitas vezes incluem a irritação nos olhos. Nesses casos, podem ser receitados colírios para aliviar o desconforto nos olhos e já existem alguns que não causam sonolência. Dentre eles, podemos citar o Patanol (Olopatadina), que atua evitando que as células liberem histaminas. Outro exemplo é o Zaditen, cujo princípio ativo é o cetotifeno.

Alguns dos efeitos colaterais do Patanol incluem visão turva, prurido, ardência, olho seco, náusea, faringite, sinusite, rinite e alteração no paladar. Já o Zaditen apresenta como principais efeitos colaterais a boca seca e a irritação nos olhos.

2. Sprays nasais

Um exemplo de spray nasal que contém anti-histamínicos que não causam sonolência inclui a Azelastina, conhecida pelos nomes comerciais de Astepro e Astelin. Porém, eles podem causar um gosto desagradável na garganta por algum tempo. Os principais efeitos adversos da Azelastina incluem irritação no nariz, fadiga, tontura e urticária.

3. Loratadina

A Loratadina, conhecida comercialmente como Claritin, é um medicamentos mais usados para o tratamento de rinite alérgica que promete não dar sono. Ela atua aliviando sintomas como coceira no nariz, coriza, espirros, ardor e coceira nos olhos, alergia na pele e urticária ajudando a bloquear os efeitos da histamina.

Os efeitos adversos mais comuns da Loratadina incluem náuseas, fadiga, dor de cabeça e boca seca. Apesar de ser vendida como um antialérgico que não dá sono, em alguns casos os pacientes podem sentir sonolência.

4. Cetirizina

A Cetirizina, vendida também pelo nome de Zyrtec, é um anti-histamínico que interrompe os efeitos da histamina, reduzindo os sintomas de alergias como a rinite alérgica e a urticária.

Dentre os efeitos colaterais da Cetirizina, se destacam dor de cabeça, fadiga, boca seca, irritação no nariz, tontura e em alguns casos, sonolência.

5. Ebastina

A Ebastina é indicada para tratar os sintomas da rinite alérgica e da urticária. Trata-se de um medicamento que reduz os sintomas relacionados à alergia devido ao bloqueio dos efeitos da histamina.

Os efeitos colaterais da Ebastina incluem faringite, boca seca, dor de cabeça, tontura, náusea, alterações no sono como sonolência ou insônia.

6. Desloratadina

Também usada no tratamento da rinite alérgica, a desloratadina atua reduzindo sintomas como coriza, irritação nos olhos, tosse e espirros. Ela é um antialérgico que não dá sono porque atua impedindo a ação da histamina, prevenindo a ocorrência de sintomas alérgicos.

Os principais efeitos adversos relacionados ao uso de Desloratadina incluem dor de cabeça, cansaço e boca seca.

7. Levocetirizina

Conhecida também pelo nome comercial de Zyxem, a Levocetirizina é indicada para o tratamento de rinite alérgica e urticária. Esse medicamento atua impedindo a ligação da histamina a receptores H1 e evitando a ocorrência de sintomas alérgicos.

Os efeitos colaterais mais comuns da Levocetiriza podem incluir dor de cabeça, boca seca, fadiga e em alguns casos sonolência.

8. Fexofenadina

A Fexofenadina é encontrada também pelo nome de Allegra. Ela é um anti-histamínico usado para o tratamento de alergias que bloqueia a ação da histamina sem causar sono.

Dentre os efeitos adversos mais comuns da Fexofenadina podemos citar a dor de cabeça, a náusea, a boca seca, a fadiga e as alterações no padrão de sono.

Antialérgico que não dá sono funciona mesmo?

Como você pode ter observado, alguns medicamentos vendidos como antialérgicos que não dão sono como a Loratadina, a Cetirizina, a Ebastina, a Levocetirizina e a Fexofenadina podem causar sonolência ou alterações no ciclo do sono.

Um estudo que avaliou os efeitos de medicamentos anti-histamínicos em relação ao humor, à qualidade do sono, à sonolência e à ansiedade publicado em 2014 no periódico científico International Journal of Psychiatry in Clinical Practice mostrou que alguns antialérgicos de última geração como a Cetirizina, a Levocetirizina e a Desloratadina podem sim causar sonolência.

Sendo assim, é importante observar o efeito do medicamento no seu organismo e usar o que mais se adaptar às suas necessidades.

Outras dicas

A Food and Drug Administration nos EUA aprovou o uso de um medicamento chamado OralAir que consiste em um comprimido sublingual que se dissolve sob a língua e atua como uma técnica de imunoterapia para alergias, causando muito menos efeitos colaterais do que outros tratamentos imunoterápicos. Porém, ele ainda não está disponível no Brasil.

Além dos medicamentos mencionados acima, é importante adotar algumas medidas para amenizar os sintomas ou evitar o agente responsável por causar sua alergia. Algumas dicas incluem:

– Evitar exposição ao pólen

As contagens de pólen são mais altas em estações do ano como a primavera e em horários específicos como entre as 5 e as 11 horas da manhã. Também é importante evitar o contato com pelo e saliva de animais e poeira. Outra boa dica é trocar de roupa assim que chegar em casa para evitar contato com substâncias alérgenas por onde passou durante o dia e usar ar condicionado no lugar das janelas abertas em horários de alta contagem de pólen.

– Tomar banho à noite

Tomar banho e colocar uma roupa limpa antes de se deitar pode ajudar a evitar espalhar as substâncias às quais você foi exposto durante o dia na cama. Além disso, é importante manter as roupas de cama e travesseiros limpos para evitar o acúmulo de ácaro.

– Adote soluções caseiras

Irrigações nasais, inalações de vapor, banho quente, compressas quentes e manter a casa limpa pode ajudar a reduzir muito os sintomas de alergias sem precisar usar antialérgicos o tempo inteiro.

– Cuidado com o estresse

Estudos indicam que pessoas que são mais estressadas apresentam mais sintomas de alergia. Assim, é importante tomar cuidado e não deixar que situações estressantes tomem conta da sua vida. Pratique exercícios físicos e atividades relaxantes e prazerosas para reduzir os níveis de estresse e focar no seu bem-estar.

– Tenha uma boa alimentação

Uma alimentação saudável também é essencial para manter o organismo forte e pronto para combater qualquer condição de saúde. Além disso, alguns suplementos como óleo de peixe, quercetina e acetilcisteína podem ajudar a aumentar a capacidade do organismo de combater substâncias alérgenas. Vegetais crucíferos como brócolis, couve, repolho e couve-flor também são ótimos para combater alergias.

Referências adicionais:

Você já tomou algum antialérgico que não dá sono? Como foram os resultados? Acabou sentindo ou não este efeito colateral? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

Antialérgico Que Não Dá Sono – 8 Mais Usados - Posts relacionados