Pode ser do seu interesse

Sem categoria

9 Benefícios do Ginseng Siberiano – Para Que Serve e Efeitos Colaterais

O Ginseng Siberiano é uma planta usada há muito tempo em lugares como a China e a Rússia devido às suas propriedades medicinais que são capazes de fortalecer o sistema imunológico e fornecer energia para o corpo.

Vamos conhecer todos os benefícios do Ginseng Siberiano e entender exatamente para que serve essa planta medicinal. Também serão mostrados os possíveis efeitos colaterais relacionados ao uso do Ginseng Siberiano e dicas de como usar a raiz com segurança.

Ginseng Siberiano

O Ginseng Siberiano é uma erva asiática conhecida pelo nome científico de Eleutherococcus senticosus. Por esse motivo, muitas vezes é mencionada como Eleuthero. É uma planta nativa de regiões do mundo como o Japão, o norte da China, o sudeste da Rússia, a Coréia do Sul e a Coréia do Norte.

Não confunda o Ginseng Siberiano com outras ervas como o Ginseng Asiático Verdadeiro (Panax Ginseng) e o Ginseng Americano (Panax quinquefolius), que apesar de apresentarem benefícios parecidos, não são a mesma espécie. Para evitar esse tipo de confusão, muitos especialistas optam por chamar a erva de Eleuthero no lugar de Ginseng Siberiano.

Existem evidências históricas de que o Ginseng Siberiano foi usado pela primeira vez na China como uma erva medicinal cerca de 2 mil anos atrás. Desde então, a planta vem sendo usada principalmente como uma substância adaptogênica, termo usado pela primeira vez em 1947 para descrever uma substância capaz de aumentar a resistência ao estresse do organismo. Dessa forma, a erva teria o poder de manter o corpo com energia e disposição por mais tempo devido ao seu efeito estimulante.

Para que serve

O Ginseng Siberiano pode proporcionar vários benefícios para o corpo humano. Dentre eles, destacam-se o alívio do estresse, a melhora das funções cognitivas, o fortalecimento do sistema imunológico e a redução da fadiga. A erva também é responsável por diminuir processos inflamatórios no organismo, manter o coração saudável, melhorar a saúde respiratória, fornecer energia e prevenir o desenvolvimento de doenças degenerativas.

De acordo com relatos, o Ginseng Siberiano também funciona como um estimulante para melhorar o desempenho atlético ou a capacidade de concentração e foco em outras atividades e algumas pessoas também usam a erva para tratar distúrbios de sono.

Apesar de todos esses usos da erva, poucos deles são comprovados cientificamente, já que a maioria das pesquisas sobre o assunto ainda trazem resultados e conclusão pouco claros sobre a eficácia da planta. Logo adiante, vamos falar com detalhes sobre os benefícios do Ginseng Siberiano com base em estudos científicos.

O que a ciência tem a dizer sobre o Ginseng Siberiano?

É imensa a quantidade de estudos sobre o Ginseng Siberiano com o intuito de entender melhor como funcionam suas propriedades benéficas para a saúde.

A maioria das pesquisas concorda com seu potencial adaptogênico, o que significa que o Eleuthero é eficaz para proteger o corpo de estresse e tensão.

Porém, alguns pesquisadores ainda são céticos quanto ao efeito benéfico do Ginseng Siberiano em condições como estresse emocional e sintomas de ansiedade e depressão. Um estudo publicado em 2013, por exemplo, mostrou que tomar a erva resulta em pouca melhora no estresse, ansiedade e depressão. Porém, as doses usadas no estudo foram menores do que doses disponíveis comercialmente da erva, podendo impactar nos resultados.

Outros estudos indicam que propriedades de proteção aos nervos podem reduzir os níveis de estresse e melhorar o humor. No entanto, algumas pessoas contestam os resultados, já que alguns desses estudos foram feitos em animais sem replicação dos testes em seres humanos.

Assim, os cientistas afirmam que mais pesquisas precisam ser feitas para comprovar a eficácia do Ginseng Siberiano para o tratamento de transtornos psicológicos e do estresse.

Quanto à energia para realização de atividades, um estudo mostrou que o Ginseng Siberiano foi capaz de aumentar os níveis de energia, acelerar o metabolismo e melhorar o desempenho físico nos participantes do estudo. Também foram observados efeitos positivos na saúde cardiovascular, melhorando aspectos como fluxo sanguíneo e pressão arterial.

Estudos também mostram um grande potencial antioxidante da erva. Pesquisas feitas com animais mostraram o suporte ao sistema imunológico e o potencial de ajudar na regulação dos níveis de açúcar no sangue.

Benefícios do Ginseng Siberiano

1. Fortalecimento do sistema imunológico

Estudos sobre os efeitos do Ginseng Siberiano na saúde indicam que ele pode fortalecer o sistema imunológico, principalmente quando em combinação com outras ervas que também exercem esse papel. Ele pode reduzir a gravidade e a duração de condições como resfriados e gripes, por exemplo, além de ajudar a prevenir e tratar outras doenças infecciosas causadas por vírus ou outros micro-organismos.

Segundo a University of Maryland Medical Center, o Ginseng Siberiano pode melhorar a função geral do sistema imunológico em pessoas que usam o suplemento regularmente. Como o uso dessa erva pode causar sonolência como um efeito colateral, é importante tomar a erva em momentos do dia em que você não precisa ficar alerta.

2. Redução da fadiga

Um dos principais motivos que leva as pessoas a procurar o Ginseng Siberiano é pelo seu efeito estimulante, que dá energia para o corpo. Isso acontece porque a erva tem um impacto no sistema nervoso além de acelerar o metabolismo, melhorar a circulação sanguínea e reduzir a sensação de cansaço e fadiga.

Segundo um estudo chinês publicado em 2009, o extrato de folhas e caules do Ginseng Siberiano é capaz de reduzir sintomas de fadiga e de aumenta o desempenho físico de animais. Os pesquisadores acreditam que benefícios semelhantes podem ser observados em seres humanos.

Assim, usar o Ginseng Siberiano como suplemento pode ser uma boa decisão para aqueles que lutam contra o sono e a fadiga diariamente. Porém, em grandes quantidades, a erva pode causar sonolência e por isso é importante usar com moderação para atingir os benefícios desejados.

3. Melhoria de funções cognitivas

O Ginseng Siberiano melhora o fluxo sanguíneo também na região do cérebro, o que garante a chegada de nutrientes e oxigênio em quantidades suficientes para exercer todas as funções cerebrais.

Estudos indicam que ao aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro, as funções cognitivas como memória e concentração também são beneficiadas.

4. Alívio do estresse

Como já mencionado acima, o Eleuthero é uma substância adaptogênica que ajuda o corpo a lidar com situações de estresse físico e também emocional.

De acordo com a University of Maryland Medical Center, o Ginseng Siberiano fortalece a capacidade do corpo de lidar com o estresse, o que também ajuda a prevenir problemas como azia, dores de cabeça e dores de estômago.

Isso significa que o uso da erva pode ajudar o corpo a dar melhores respostas bioquímicas quando o organismo é submetido a um episódio estressante, melhorando sintomas de ansiedade e estresse.

Apesar disso, não é recomendado usar a planta para substituir ou complementar um tratamento para condições psicológicas como transtornos de ansiedade ou depressão.

5. Diminuição da incidência de distúrbios neurológicos

Assim como melhora as funções cognitivas, o uso de Ginseng Siberiano pode ajudar a combater os radicais livres que se acumulam no cérebro prejudicando algumas de suas funções e causando doenças degenerativas.

Isso ajuda na prevenção de distúrbios como o Mal de Alzheimer e a demência, por exemplo. O consumo da planta pode até melhorar alguns sintomas dessas condições, como ajudar na recuperação de algumas memórias e desacelerar o avanço das doenças.

6. Efeito anti-inflamatório

O efeito anti-inflamatório do Ginseng Siberiano pode ser interessante para pessoas que sofrem de condições inflamatórias crônicas como a osteoartrite, a artrite reumatoide e a gota, por exemplo.

Um estudo recente mostra que houve uma melhora significativa na flexibilidade e funcionalidade das articulações e uma redução das dores nas articulações afetadas por essas doenças. Apesar de essa pesquisa ainda não ter sido totalmente concluída, os resultados são promissores.

Além disso, a erva pode ser eficaz para aliviar sintomas de resfriados, tosses, bronquites e outras condições que afetam o sistema respiratório. Também é capaz de evitar e tratar infecções no trato respiratório como a pneumonia. Isso se deve ao efeito anti-inflamatório e também ao seu poder expectorante, que ajuda a eliminar o muco e o catarro acumulados.

7. Proteção da saúde do coração

Além de ajudar a regular a pressão arterial através do efeito vasodilatador e da melhor circulação sanguínea, o Ginseng Siberiano ajuda a reduzir e regular os níveis de colesterol no sangue, o que ajuda a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças como a aterosclerose e diminuir a incidência de ataques cardíacos e derrames.

8. Controle da diabetes

O uso regular de Ginseng Siberiano ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, evitando as flutuações no índice glicêmico que são tão perigosas para os diabéticos.

Além disso, a erva também atua reduzindo a resistência à insulina, o que é importante para o controle da diabetes do tipo 2. Um estudo publicado em 2013 indica que o consumo de 480 miligramas de Ginseng Siberiano por dia diminui de maneira significativa os níveis de açúcar no sangue em jejum e após as refeições em pessoas com diabetes do tipo 2, atestando a eficácia da erva para esse fim.

9. Efeito estimulante e melhoria do desempenho físico

Além de diminuir a fadiga, o Ginseng Siberiano atua como um estimulante. O seu uso pode aumentar a capacidade dos músculos, melhorando o desempenho de atletas e pessoas que praticam atividades físicas intensas.

De acordo com um estudo, o consumo de 800 miligramas de Eleuthero por dia durante um período de 2 meses aumenta o tempo de resistência de uma pessoa do sexo masculino em até 23%, a saturação máxima de oxigênio em 12% e a frequência cardíaca em 3%. Todos esses são fatores que contribuem para um melhor desempenho físico.

Outros benefícios

Devido ao potencial anti-inflamatório e ao fortalecimento do sistema imunológico, a erva pode ser usada na prevenção e tratamento de úlceras e feridas.

O Ginseng Siberiano também pode ser benéfico para pessoas com pressão arterial baixa, já que seu efeito estimulante aumenta o fluxo sanguíneo e a frequência cardíaca.

Alguns estudos indicam que o uso da planta pode aumentar a força muscular e também a força óssea. Em um estudo publicado em 2013, ratos que tomaram 100 miligramas de Eleuthero por dia durante 2 meses apresentaram um aumento de 16,7% na densidade óssea do fêmur, o que pode ser um fator interessante para prevenir a osteoporose. No entanto, estudos em humanos também devem ser realizados para comprovar esse fato.

Extratos de Ginseng Siberiano são capazes de se ligar a receptores do hormônio estrogênio. Por isso, ele é capaz de diminuir os efeitos da falta de estrogênio que ocorre em mulheres que estão passando pela menopausa para ajudar no gerenciamento dos sintomas.

Algumas pesquisas em andamento também sugerem que o Ginseng Siberiano pode melhorar a função linfática e reduzir problemas como edema causado pelo acúmulo de fluidos no organismo.

Efeitos colaterais

Apesar de algumas incertezas sobre a sua eficácia em alguns dos benefícios, o Ginseng Siberiano é seguro para uso em quantidades moderadas.

Quando utilizado em grandes doses, podem ocorrer efeitos colaterais que incluem:

  • Ansiedade;
  • Alterações no humor;
  • Sonolência;
  • Insônia;
  • Confusão mental;
  • Irritabilidade;
  • Alteração na pressão arterial sanguínea;
  • Alteração no ritmo cardíaco;
  • Espasmos musculares;
  • Problemas gastrointestinais como diarreia, náusea e cólicas;
  • Urticária ou alergias na pele;
  • Aumento do risco de sangramento ou hemorragia;
  • Alterações nos níveis de açúcar sanguíneo;
  • Mudanças hormonais;
  • Dor de cabeça.

Especialistas também recomendam que o uso da erva deve ser evitado por mulheres grávidas, amamentando ou por crianças menores de 2 anos.

Além disso, se você sofre de alguma das condições mencionadas abaixo, é importante consultar um médico para avaliar se o consumo de Ginseng Siberiano pode interferir ou não no tratamento. Isso inclui condições como:

  • Doenças mentais;
  • Insônia;
  • Transtornos de ansiedade e depressão;
  • Problemas cardíacos;
  • Câncer;
  • Distúrbios hemorrágicos;
  • Alterações hormonais;
  • Diabetes.

Interações medicamentosas

O uso de alguns medicamentos pode aumentar o risco de ocorrência de efeitos colaterais e a potencialização ou redução dos efeitos dos remédios. Dessa forma, se você faz uso de algum medicamento, erva ou suplemento, é preciso conversar com um médico sobre possíveis interações medicamentosas para evitar complicações de saúde e efeitos adversos indesejados. Alguns desses medicamentos incluem:

  • Remédios para distúrbios sanguíneos ou condições análogas;
  • Medicamentos como a heparina e varfarina;
  • Medicamentos para problemas no fígado;
  • Remédios para tratar insuficiência cardíaca como a digoxina;
  • Inibidores da ECA (enzima conversora da angiotensina);
  • Medicamentos para regulação hormonal;
  • Remédios antialérgicos;
  • Antidepressivos;
  • Sedativos ou outros remédios para tratar condições psiquiátricas;
  • Álcool;
  • Radioterápicos como o lítio;
  • Esteroides;
  • Anticonvulsivos;
  • Medicamentos para diabetes;
  • Vasodilatadores;
  • Ervas como ginkgo biloba e saw palmetto.

Como usar

O Ginseng Siberiano pode ser encontrado também pelo nome de Eleuthero. Os extratos da planta podem ser feitos através do uso da sua casca, do seu caule, de suas folhas ou de suas raízes.

A erva pode ser encontrada como folhas, cascas ou caules secos e também nas formas de pó, capsulas, comprimidos, extratos ou líquida. Também é possível encontrar a erva como componente de multivitamínicos e tônicos misturado com outras substâncias.

Se preferir a versão menos processada, procure por folhas ou outras partes da planta secas. Essas partes do Ginseng Siberiano podem ser usadas para preparar um chá da erva.

A forma mais comum de consumir o Ginseng Siberiano é através de cápsulas ou de um chá, que podem ser preparados com as partes secas ou com o pó da erva. Algumas pessoas também tomam o extrato da erva diluído em água.

Não existe uma dose padrão de consumo diário de Ginseng Siberiano, mas é indicado usar a erva com moderação. Alguns estudos indicam que não se deve tomar mais do que 3 gramas da erva em um dia e afirmam que o uso de até 1,2 gramas diários é seguro.

Use uma colher de sopa do extrato em um copo de água ou uma colher de sopa de pó ou um punhado de folhas secas de Eleuthero para preparo do chá. Mas, desde que o limite de 1,2 gramas diários não seja ultrapassado, você pode preparar um chá mais forte se preferir.

Outras dicas

É recomendado tomar o chá ou suplemento de Ginseng Siberiano pela manhã para evitar que seu efeito estimulante tire o sono à noite. Não é indicado usar o Ginseng Siberiano por um período superior a 6 semanas sem uma pausa no consumo.

O Ginseng Siberiano pode interagir com outras ervas, medicamentos ou suplementos. Desta forma, consulte um profissional da saúde se estiver tomando algum desses produtos antes de iniciar o uso do Ginseng Siberiano.

Referências adicionais:

Você já tinha ouvido falar do Ginseng Siberiano e todos os seus benefícios? Pretende experimentar agora? De que formas de consumo? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…

Natália Oliveira

Natália Oliveira, apaixonada pelo universo Fitness feminino e toda magia que envolve "SER MULHER". Secretária Executiva, esposa e empreendedora digital.

9 Benefícios do Ginseng Siberiano – Para Que Serve e Efeitos Colaterais - Posts relacionados